***   Onde está a Hiena dos combustíveis?   ///    O furacão Katrina foi uma tempestade tropical que alcançou a categoria 3 da escala de furacões de Saffir-Simpson em terra firme e categoria 5 no oceano Atlântico. Os ventos do furacão alcançaram mais de 280 km/h, e causaram grandes prejuízos na região litorânea do sul dos Estados Unidos, especialmente em torno da região metropolitana de Nova Orleans, em 28 de agosto de 2005 onde mais de um milhão de pessoas foram evacuadas.  Milhares de pessoas perderam tudo, inclusive suas casas e o que se assistiu nos dias que se seguiram foi uma verdadeira onda de solidariedade. Muitos postos de Combustíveis passaram a vender seus produtos a preço de custo enquanto os supermercados distribuíam seus produtos gratuitamente no intuito de mitigar o sofrimento da população.  No Brasil no entanto, durante a greve dos caminhoneiros, a atitude de comerciantes foi justamente ao contrário. Um saco de batatas chegou a ser comercializado no CEAGESP por mais de R$.500,00.  Em nossa cidade no mesmo dia que foi anunciada a greve, um posto que vendia a gasolina a R$.4,24 passou a vender o produto a R$.4,64 e ai permaneceu. Com o término da greve a totalidade dos postos passou a majorar seus preços, isso por toda a cidade, o que me despertou a atenção e me levou a pesquisar.  Na Petrobras encontrei o preço de venda da gasolina desde o dia 19 de abril deste ano quando o produto era vendido às distribuidoras a R$.1,7314. Lembro que este é o preço da Petrobras às distribuidoras, já calculados os preços internacionais e as variações do preço do petróleo e da desvalorização do dólar. Esse preço diminui ao ser adicionado o álcool na mistura.  Pois bem, no dia 19 de maio, portanto antes do início da greve, a Petrobras vendia a gasolina a R$.2,0407 e o produto era vendido na zona sul de Caraguatatuba a R$.4,24 o mais caro e a R$.4,098 mais barato. A greve se intensificou, a gasolina sumiu dos postos e em uma semana acabou. O preço de venda da gasolina da Petrobras em uma semana caiu para R$.2,0113.  Mesmo com o aumento anunciado na última sexta-feira a gasolina continuava mais barata do que antes da greve R$.2,0113 e o preço em Caraguatatuba continua pelo menos 9% mais caro que antes da greve. Hoje é vendida na zona sul a R$4,64  mais cara e a R$.4,458 (Posto Maximo na entrada do Morro do Algodão) a mais barata. O que mais chama a atenção é que os postos que seguiam o preço da mais barata, reajustaram seus preços na mesma proporção como se tivessem acordado seus preços.  Mas este fenômeno não aconteceu só na gasolina. Ainda consultando a Petrobras descobri que o gás de cozinha que teve seu maior preço em dezembro do ano passado R$.24,40 hoje é vendido a R$.22,10 e o povo vem pagando R$.65,00.  Não da para analisar por completo pois não temos acesso aos preços praticados pelas distribuidoras, mas a verdade é que entre a Petrobras e o consumidor final existem algumas Hienas.  Hoje terça-feira, ao escrever este texto, a notícia que a Petrobras abaixou o preço da gasolina mais uma vez!   ///   CesarJumana

Nas próximas eleições lembre-se das multas na Tamoios!

Tempo - Cº

Caraguatatuba
CPTEC - INPE
Foto Satélite
Previsão p/ 10 dias

Noroeste News

Nosso jornal esta disponivel em PDF caso não possua clique na figura é gatuíto!

Classificados

Jornal Completo

Edições Anteriores

2017

2018

WEBMAIL

Fale conosco

 x

Edição 1051 - Semana de 14/06 a 21/06/2018

Para entrar nesta edição clique na capa

 

 

 

 

 

 

  Pesquisar em nossos arquivos

Loading

 

Edições Anteriores

Fale conosco
e-mail: editor@noroestenews.com.br


©1998

Instituto Cesar Informática Ltda.

Rua Guarulhos, 157 - sala 4

Fone: 12 3883-3433

Caraguatatuba - SP

CEP - 11660-070